Os pecados de Padre Eraldo

Quase concluindo seu 3° ano de mandato, o Prefeito Padre Eraldo continua navegando por mares turbulentos, como ele algumas vezes cita em seus discursos utilizando o salmo bíblico.

Levado à cadeira do executivo do município mais importante do Alto Sertão de Alagoas por mais de 14 mil votos, viu seu grupo inicial - o que esteve ao seu lado desde os tempos duros após a derrota para Lula Cabeleira em 2012 - esfacelar-se.

Com as dificuldades em 2017 e o anseio de realizar de forma imediata as promessas de campanha, enfrentou uma briga interna o que resultou em diversas atitudes, inclusive algumas amargas como o decreto de 31 de agosto de 2017 que exonerou todo o quadro de servidores municipais comissionados e contratados, e o que reduziu em até 30% alguns salários (principalmente de aliados à gestão).

O resultado de 2017, segundo pesquisas que circulavam à época, uma grande taxa de reprovação do governo Padre Eraldo. Porém, 2018, após toda turbulência, diversas ações aconteceram e o governo parecia entrar no prumo. Ao final do ano, o próprio Prefeito admitia que '2017 era um ano para ser esquecido'.

Com a chegada de 2019 e a expectativa do grupo político em realizar um grande ano pré eleitoral, algumas peças foram mexidas e o 'caldo azedou' novamente.

Na Câmara, onde possuia os 10 vereadores como aliados ( Cacau Correia, pai do Vice Prefeito Gabriel, já havia rompido laços em 2018), acabou por ficar somente com 6. Cacau que antes andava só pelos corredores do legislativo, ganhou 4 'melhores amigos' de presente.

Uma chuva de denúncias contra a gestão começou a chegar à Câmara dos Vereadores - 3 ainda estão para serem votadas. Além disso, o Ministério Público adentra à Prefeitura em uma operação de Busca e Apreensão de documentos. A investigação já ouviu mais de 120 pessoas.

A gestão, mais uma vez fica estagnada. Mais demissões acontecem e, pelos cantos, ouvesse algumas confissões do Prefeito que entregaria o cargo.

Na espera do resultado da Câmara ou do MP, a tensão toma conta da gestão municipal. Mas, quais teriam sido os pecados do Prefeito Padre Eraldo?

Alguns falam em confiança depositada em quem não correspondeu na mesma moeda. Outros reclamam da falta de estabilidade do gestor, que mudaria de opinião ao sabor do vento navegável.

É fato que algumas secretarias despontaram e realizam um grande trabalho, como é o caso da Agricultura, que verdadeiramente mudou a vida do homem do campo. E da Educação, que conseguiu se manter equilibrada nestes quase 3 anos. As outras secretarias municipais andam com passos e velocidade referente ao apoio que a gestão dá. Algumas nem orçamento possuem e sobrevivem de ajuda (quase passando o pires) de outras maiores.

Toda esta turbulência já é observada pelo eleitor. Segundo fontes, uma pesquisa realizada em julho e entregue este mês nas mãos do Prefeito em reunião em Maceió, o resultado não agradou e colocou em xeque o novo núcleo duro da gestão.

O que se fala nos bastidores é que todas as ações desencadeadas no início de 2019 estariam levando "de bandeja" a cadeira do executivo para Lula Cabeleira.

Agora, como vem sendo divulgado nas redes sociais da Prefeitura de Delmiro Gouveia, é apresentar os "Novos Rumos" e convencer o eleitor em 2020.

© 2020 - Blog Panorama - As notícias políticas mais importantes do Alto Sertão de Alagoas.