Sete deputados de AL votaram para que servidores públicos não tenham reajuste de salário


Por: Correio Notícia


Eles votaram alinhados com a política econômica de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes; apenas Paulão (PT) e JHC (PSB) foram contra Dos nove deputados federais de Alagoas, sete votaram pela manutenção do veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para que servidores públicos não tenham nenhum reajuste salarial até o dia 31 de dezembro de 2021. A votação ocorreu na última quinta-feira (20) na Câmara Federal, após o Senado ter votado pela derrubada do veto.

Os sete deputados federais de Alagoas que votaram alinhados com o presidente e com a política econômica de Paulo Guedes, ministro da Economia, que penaliza servidores públicos de todas as áreas, foram: Arthur Lira (PP), Isnaldo Bulhões Júnior (MDB), Marx Beltrão (PSD), Nivaldo Albuquerque (PTB), Sergio Toledo (PL), Severino Pessoa (Republicanos) e Tereza Nelma (PSDB).

Os únicos que votaram pela derrubada do veto, ou seja, pela possibilidade de haver, até 2021, reajuste salarial para servidores públicos, foram João Henrique Caldas (PSB) e Paulão (PT).

Interessante observar que o deputado federal pela Bahia conhecido como Dr. João (Pros), que é irmão do deputado alagoano JHC, votou a favor do governo Bolsonaro, ou seja, pela manutenção do veto e contra os servidores públicos.

O veto presidencial derrubado pelo Senado e depois mantido pela Câmara dos Deputados refere-se a dispositivo da Lei Complementar 173, de 2020, que permitiria reajuste salarial para categorias do funcionalismo envolvidas no combate à pandemia, a exemplo de servidores da saúde, assistência social, de limpeza urbana e de segurança pública. O Senado havia derrubado o veto na quarta-feira (19), mas o governo alegou que as despesas com eventuais aumentos salariais chegariam a R$ 132 bilhões.

© 2020 - Blog Panorama - As notícias políticas mais importantes do Alto Sertão de Alagoas.